Santa Rendeira

Por uma moda menos ordinária

gigapost homenageando outro rei 30/07/2009

Filed under: Cultura,História da Moda,Others — santarendeira @ 12:46

 

 

Moda e música continuam na minha cabeça


 

05roberto-carlos-6200907201350571WALL-JG3-800

 

 

Dois motivos importantes para eu falar do Roberto Carlos aqui. O primeiro é que todo mundo ficou passado com a morte de MJ e decidiu homenagear esse rei após sua morte. Digno, porem acho muito mais válido a gente homenagear em vida, não tem aquele caráter de pena e/ou arrependimento. Então resolvi já fazer a homenagem ao MEU rei. Sim, adoro Maica, mas nem chega perto. E aí vamos aproveitar que ele (Roberto) está completando 50 anos de carreira.

 

Não, não riam. Eu não sou fã de tudo-tudo do Roberto. Eu não gosto muito desta fase mais recente-melodramática. Eu gosto mais da fase roots jovem-guarda. Começou mais ou menos assim: não sei por que cargas d’água, eu e minha irmã amávamos, enquanto pequenas crianças, os CDs dos meus pais de coletâneas da Jovem Guarda. A gente gravava fita para ir escutando no caminho da escola e eu sei cantar todas até hoje.

 

Anyway, sei que eu cresci e comecei a ouvir outras coisas. Até que fui apresentada ano passado (como vivi sem eles antes??) pela querida amiga Elis ao Del Rey. Os caras são DEMAIS, é uma banda que faz versões mais rock’n’roll das músicas do rei original. A banda é formada pelo China, que tem sua carreira solo, e os integrantes da ótima banda Mombojó. Então pare e pense num show de música boa, mas que você relembra um monte de músicas, a galera canta alucinada e o vocalista dança loucamente? Apaixonei.

 

Só que o Del Rey não tem CD – como são todas músicas do Robertão, eles não poderiam gravar, seria um trampo para pedir autorização e tals. Então você sai do show alucinada, querendo ouvir aquelas músicas incríveis. Não tem CD do Del Rey. Você apela para o original! E foi assim que começou meu amor pelo Rei. 

 

 

 

IMG752009211209

 

China e Roberto

 

 

 

Daí que o povo pode gongar o Rei hoje em dia, que ele só usa azul e faz chapinha. Tudo bem que ele poderia ter atualizado, mas hello, o cara pode dizer que foi cabeludo a vida toda! Eu acho roots e digno! E se hoje não tá lá essas coisas de fashion, já influenciou muito a moda. Ele era o cara na Jovem Guarda: fazia megasucesso, fazia filmes, músicas citavam seu nome. Junto com o pessoal da Tropicália, influenciaram muito os jovens dessas décadas de 60/70 aqui no Brasil (numa pegada menos política).

 

Calças de boca mais larga, camisa riponga, de tecido fininho, um monte de colares e cabelão. Oi, já olharam fotos antigas do seus pais? Vai achar uma parecida! Gente e a versão feminina, Wandeka???? AMO. Adoro visuais femininos que remetem à essa época.

 

 

08340116robertocarlos-thumbVanderléia

 

Camisas com ares ripongas, bem abertas no peito, muitos colares, cabelos compridinhos  e o jeitinho fofo de usar

saia, bota e cabelo volumoso de Wanderlea

 

 

 

 

Segundo material da revista época, “Com a proibição da transmissão dos jogos de futebol, em 1965 Roberto Carlos estréia nas tardes de domingo, ao lado de Erasmo e Wanderléa, o programa Jovem Guarda, na TV Record, que daria nome ao movimento. Seguindo padrões norte-americanos, a idéia era oferecer ao telespectador um show de música jovem que seria a versão brasileira do movimento musical liderado pelos Beatles. O programa estréia oficialmente em 05 de setembro de 1965, vira sucesso e faz moda. As gírias lançadas pelos cantores da Jovem Guarda, suas músicas, as roupas que usavam e produtos a eles associados viraram mania nacional (o programa era exibido nas outras capitais em videoteipe, com alguns dias de atraso). Foi a época das expressões ”É uma brasa, mora!” e ”barra limpa” e das marcas Calhambeque, Tremendão, Ternurinha e Jovem Guarda em objetos tão diversos como calças, botas, chapéus, cintos, chaveiros, coletes, lapiseiras, porta-cadernos, amplificadores para baixo e fotografias.

 

No programa, Roberto Carlos arrumava seu microfone, e seus dedos exibiam anéis de ouro e jade, seu pulso carregava uma grossa pulseira com seu nome, seus cabelos eram desafiadoramente compridos para a época. Após uma dose de San Raphael, dizia algumas gírias e curvava o tronco até a altura dos joelhos. O medalhão de ouro saltava da camisa. Ele esticava o braço e anunciava: ”O meu amigo Erasmo Carlos!” Tinha início o maior show da música juvenil.”

 

Gente, bafo! E tem mais: “Em novembro, o programa Jovem Guarda já tinha 3 milhões de espectadores, só em São Paulo. Passou a ser transmitido ao vivo para São Paulo e em tape para o Rio de Janeiro e Belo Horizonte (MG). Em dezembro já era transmitido para Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS).

 

 

 

jovem-guarda-foto-jose-antonio

 

Olha a ousadia das roupas do pessoal da Jovem Guarda


 

A influência da Jovem Guarda foi além da música: criou uma nova linguagem, uma nova moda e costumes para a juventude. A linguagem carregada de neologismo, as roupas masculinas, a princípio comportadas, partiram para cores berrantes, camisas floridas e babados para os garotos e mini-saias e maquiagens exageradamente carregadas para as garotas. Tudo acompanhado de exagerados anéis, colares e medalhões. A indumentária, a nova linguagem, os cabelos compridos eram a senha para a liberdade e total quebra de tabus de uma sociedade extremamente rígida e conservadora.

 

Além do programa e dos discos, Roberto Carlos estrelou filmes inspirados nos Beatles. A roupa e o figurino do início da sua carreira também teve influência da banda britânica. Em 1967, é lançado o seu primeiro longa, Roberto Carlos em Ritmo de Aventura, seguido por Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa (1969) e Roberto Carlos a 300km por Hora (1971).

 

O iê-iê-iê logo tomou conta das paradas de sucesso, principalmente após o lançamento do disco Jovem Guarda, contendo o megassucesso ”Quero que Vá Tudo pro Inferno”, uma das músicas mais tocadas no Brasil nos dois anos seguintes e que tornou-se o hino do movimento.”

 

Hoje muita coisa mudou na carreira do rei. Ele INFELIZMENTE não canta mais algumas músicas que eu amo, por questões meio religiosas. E tem a histórias das roupas azuis. Mas ainda existe um cuidado com a moda: no palco ele gosta de usar ternos broncos feitos por um alfaiate argentino.

 

 

 

roberto-carlos-2JovemGuarda_1RC-816

 

 

Couro total, Wandeka de brincoscândalo e olha o vestidinho-bafo da amiga do Rei. Ah!

 

 

 

CURIOSIDADES:

 

– Música preferida: ”Detalhes”

 

 – Maior fenômeno de vendas da história da indústria fonográfica brasileira, Roberto Carlos alcançou em 1994 a espetacular marca de 70 milhões de discos vendidos. Foi o primeiro cantor latino-americano a bater o recorde dos Beatles (45 milhões) em todo o continente

 

– Foi o primeiro artista brasileiro a romper a barreira de 1 milhão de cópias vendidas, com o LP que leva seu nome, lançado em 1977. Desde então, seus discos sempre venderam mais de 1 milhão de unidades

 

– Foi o primeiro estrangeiro a ganhar o Festival de San Remo, na Itália

 

 

 

LETRAS SIMPLES QUE DIZEM TUDO:

 

 

Vivo condenado a fazer o que não quero

Então bem comportado às vezes eu me desespero

Se faço alguma coisa sempre alguém vem me dizer

Que isso ou aquilo não se deve fazer

Restam meus botões…

Já não sei mais o que é certo

E como vou saber

O que eu devo fazer

Que culpa tenho eu

Me diga amigo meu

Será que tudo o que eu gosto
É ilegal, é imoral ou engorda

 

 

 

Agora não vou mais chorar

Cansei de esperar

De esperar enfim

E pra começar eu só vou gostar

De quem gosta de mim

 

 

 

Você comigo não combina

Não adianta nem tentar

Não vejo mais razão nenhuma

Para continuar…

Não quero mais seu amor

Não pense que eu sou ruim

Vou procurar outro alguém
Voceeeeeeeeeeeê!
Não serve prá mim!

Não serve prá mim!…

Uma palavra de carinho

Jamais ouvi você falar

Seu beijo tão indiferente

Foi o que me fez pensar…

No tempo que eu estou perdendo

No amor que eu tenho para dar

Deve existir alguém querendo

O que você não quis ligar…

Não quero mais seu amor

Não pense que eu sou ruim

Vou procurar outro alguém

Voceeeeeeeeeeeê!
Não serve prá mim!…
Não serve prá mim!…

 

 

 

Moral da história: HELLO-OW, o Rei sabia das coisas!!!

 

: *

 

Anúncios
 

4 Responses to “gigapost homenageando outro rei”

  1. manu Says:

    tava sentindo falta dos seus post!

    gentchi, o REI tem cada fase!!!!!

    😉

  2. ernani Says:

    Pô, tinha perdido esse! Até o rei entrou na moda. Aquela camisa azul dele é promessa. Ele combinou com o santo que só cortaria o cabelo no dia em que tirasse a camisa. Aí acabou não fazendo mais uma coisa nem outra. Mas o som é bão…
    bjoca

  3. Dunhill Says:

    Que post interessante, informativo e agradavel.↲

    Aliás, o convite para o DelRey de 6a continua em pé. :)↲

    Bjbjbj


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s